Adhana Festival

This post is also available in: enEnglish

Na minha última virada do ano, tive a chance de conhecer o Adhana Festival, em Rio Negrinho, Santa Catarina. Essa foi uma das melhores viradas de ano da minha vida!

Foto: Murilo Ganesh

O Tribos Stage foi o palco alternativo, lá estava o espírito Chill Out do festival, em frente um belo lago, onde as pessoas descansavam e se divertiam. Nessa área encontrei muita sombra e aconchego, além do som de qualidade, com os mais variados estilos!

Por lá passaram nomes como Kobi do Loud, que tocou um set de Techno. Ryanosaurus tocou o seu projeto paralelo, chamado Electrocado. Também rolou Kalya Scintilla, Bayawaka, D-Nox, James Monro, Quake, Marco Lisa, Murilo Ganesh, Thiago Pinheiro, Kadum, Fabio Leal e muito mais!

O público foi bem diversificado, com pessoas de todos os cantos do Brasil: Bahia, São Paulo, Minas, Rio de Janeiro, Brasília… Também encontrei muitas pessoas que vieram da Argentina. Todos estavam transmitindo felicidade e energia positiva, entre abraços e sorrisos…

Foto: Bruno Camargo

Foto: Bruno Camargo

Foto: Bruno Camargo

O camping do festival era gramado e cheio de árvores. A natureza do Sul é realmente exuberante! Os banheiros estavam sempre limpos, com papel higiênico e faxineiras… Esse é um ponto muito importante em um festival.

Vamos falar sobre o meu lugar favorito, o Main Floor, que foi o Savanah Stage!

Foto: Murilo Ganesh

Confesso que o que me fez viajar de tão longe, atravessar Minas Gerais, São Paulo e Paraná, foi o line up do festival!

Foto: Murilo Ganesh

Também não poderia ser diferente, a DM7 Bookings têm os melhores projetos da atualidade!

Foto: Murilo Ganesh

Vou começar falando sobre o primeiro projeto que me levou para a pista de dança, que foi o Rinkadink! É incrível como a sua apresentação contagia o público! Esse foi um dos melhores momentos da pista! Depois de sua apresentação, ele tocou um versus com Element, o pai do Adhana Festival.

Foto: Vinicius Miranda

O Adhana foi o palco de estreia do projeto solo do Kobi do Loud! A sua apresentação foi incrível, tocando tanto clássicos do Loud, como as novas tracks do seu EP Fragments, que acabou de ser lançado pela Nano Records.

Por lá passou o projeto Earthspace, que nunca decepciona o seu público!

Foto: Bruno Camargo

Rolou também o som Old School do Xerox & Illumination.

Captain Hook tocou nas últimas horas do ano, o público não queria deixar o israelense parar de tocar!

Na noite da virada rolou Burn in Noise & Altruism.

Foto: Vinicius Miranda

Seguidos por Outside The Universe, a junção de Outsiders com Electric Universe, um projeto que eu estava louca para conferir ao vivo. Logo depois rolou Ajja, que dispensa comentários!

Depois foi a vez dos meus queridos Mad Tribe, a união entre Mad Maxx & Space Tribe. Se eles são incríveis separados, imagine juntos! Logo depois rolou Space Tribe, seguido por Mad Maxx! Eu dancei muito durante essa noite, até o dia amanhecer! Depois disso consegui ficar mais um pouco no set do Shove, que começou pesado, mas as minhas pernas não aguentavam mais, tive que descansar pelo menos por uma hora, depois de uma noite inteira sem dormir! Que virada emocionante!

Foto: Vinicius Miranda

Pelo Adhana passaram projetos incríveis do Psychedelic Trance, como Avalon, Tristan, Killerwatts, Dickster, Circuit Breakers, Infinitti Griti, Astrix, Alpha Portal, Goa Jonas, Wegha, Via Axis, Mental Broadcast, Labirinto, 28live, Regan…

Foto: Bruno Camargo

Foto: Vinicius Miranda

Foto: Vinicius Miranda

Foto: Bruno Camargo

Pixel tocou um set incrível, incluindo uma track do X-Dream eu que amo: The First and The Last!

Foto: Vinicius Miranda

Electric Universe foi mágico, com o seu som Goa Psychedelic Trance!

Foto: Vinicius Miranda

Falando em sons mágicos, no primeiro dia do ano tocou Merkaba, que sempre me encanta!

Também tocou Progressive Dark, com projetos como Ryannousarus, e também um versus dele com Freedom Fighters.

Foto: Murilo Ganesh

Representando a Parvati Records, rolou a apresentação do mestre Elowinz, que é sempre demais!

De Progressive Trance, tocaram nomes como Ace Ventura, Liquid Soul, Liquid Ace, Emok, Vini Vici, Capital Monkey, 4i20, Vegas…

No último dia do festival tocou James Monro.

Foto: Vinicius Miranda

O responsável pelo encerramento foi Atmos.

Foto: Vinicius Miranda

Foram tantos nomes incríveis! O difícil é conseguir ficar na pista o tempo todo e não perder nenhum!

O Adhana contou com oficinas de arte, com Yoga, rodas de conversas sobre reciclagem, família, autoestima, medicina da floresta, e vários outros temas…

Foto: Bruno Camargo

Foto: Bruno Camargo

Foto: Bruno Camargo

A praça de alimentação contou com muitas delícias! A minha preferida foi o macarrão! Lá se encontrava uma galeria de Arte, com fotos do mestre Murilo Ganesh, o meu fotógrafo favorito!

Foto: Murilo Ganesh

Posso dizer que essa foi uma experiência mágica em minha vida! Lá vivi momentos que ansiava em viver por muito tempo! Fiquei muito feliz em conhecer o Adhana e passar a minha virada de ano no Sul! Santa Catarina é linda! Os Catarinenses são simpáticos e acolhedores!

Foto: Bruno Camargo

Foto: Bruno Camargo

A organização foi impecável, e definitivamente eu espero voltar daqui dois anos!

Vida longa ao Adhana Festival! Parabéns DM7 Bookings!

Foto: Bruno Camargo

Escrito por Marina Tavares

Fotos de Murilo Ganesh, Vinicius Miranda, Bruno Camargo

This post is also available in: enEnglish

About Marina Tavares

Brazilian writer, Trance lover, English teacher.
View all posts by Marina Tavares →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *